• Mário de Sá-Carneiro, Sete Canções de Declínio

    Mário de Sá-Carneiro, Sete Canções de Declínio

    1. Um vago tom de opala debelouProlixos funerais de luto d’Astro –E pelo espaço, a Oiro se enfolouO estandarte real – livre, sem mastro.Fantástica bandeira sem suporte,Incerta, nevoenta, recamada –A desdobrar-se como a minha SortePredita por ciganos numa estrada. . . 2. Atapetemos a vidaContra nós e contra o mundo. 3. Embora num funeralDesfraldemos as […]

  • Artigo 16

    Artigo 16

    Um povo culto é um povo livre E apesar da nossa sombria presença a Serpente pouco tem feito pela a liberdade do povo. Observamos e dedicamo-nos a tratar do nosso próprio quintal, nem sempre sobrando o tempo necessário para fazer o que temos apresentado até aqui. Mas a Serpente vê a censura nas redes sociais, […]

  • Um Jantar Ritual Castrejo em Durrães

    Um Jantar Ritual Castrejo em Durrães

    Depois de séculos de silêncio, celebrou-se novamente Nábia nas margens do rio a que dá nome. Um evento único onde a Serpente esteve presente como testemunha. A nova tecnologia levou-nos sem dificuldades a uma bonita vila do Minho onde, como no passado, muitas famílias escolhem viver. E se a beleza da terra se expõe sem […]