Eunice Muñoz diz António Nobre e Florbela Espanca

Era já uma das mais reconhecidas actrizes portuguesas quando em meados dos anos 70 Eunice Muñoz grava os seus primeiros discos de poesia,

Um dedicado a António Nobre e outro a Florbela Espanca onde teve a preciosa colaboração do pianista Rui Guedes que escreveu propositadamente a música original que ínicia e acompanha a leitura dos poemas.

Ambos os LPs são muito difíceis de encontrar, sendo ambos edição da entretanto extinta Orfeu de Arnaldo Trindade.
Os exemplares que restam do disco “Eunice Muñoz lê António Nobre” estarão silenciados em coleções privadas mas existe já uma versão de “Florbela Espanca por Eunice Muñuz” para ouvir na Internet:

Seguem-se os poemas de cada um dos registos:

EUNICE MUNOZ LÊ ANTÓNIO NOBRE

A1. Memória
A2. Luzitânea no Bairro Latino (1º Parte)
A3. Luzitânea no Bairro Latino (2º Parte)
A4. Luzitânea no Bairro Latino (3º Parte)
B1. Purinha
B2. A Vida
B3. Balada do Caixão
B4. Soneto Nº 13

FLORBELA ESPANCA POR EUNICE MUNOZ

A01. Amiga
A02. De joelhos
A03. Sem remédio
A04. Fanatismo
A05. O meu orgulho
A06. Saudades
A07. Ódio?
A08. Versos de orgulho
A09. Rústica
A10. A um moribundo
A11. Se tu viesses ver-me
A12. A nossa casa
A13. Supremo enleio
A14. Amar!
A15. IV (É um não querer mais que bem querer – Camões
B01. Ser poeta
B02. Minha culpa
B03. Crucificada
B04. Ambiciosa
B05. Vão orgulho
B06. Nocturno
B07. Chopin
B08. Escrava
B09. O meu desejo
B10. O maior bem
B11. Eu não sou de ninguém
B12. Esquecimento
B13. À noite

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *