Um Deus cansado [de] ser Deus em vão

Um Deus cansado [de] ser Deus em vão

Farto da gente em cuja companhia

Ia da suja noite ao porco dia,

Para não ser obscuro — o Deus cristão,

O Deus do Cristianismo, esse, uma vez

Quebrando essa apatia em que repousa,

Ou repousava, (…), fez …

Mas fez ele alguma vez alguma coisa?

Para fazer alguma coisa

E não passar a eternidade em branco

Fez o João Franco.

Depois, como a paciência não lhe sobra,

(Que o Cristianismo não o deixa em paz)

Deu um golpe de vista à sua obra,

E zangou-se; já tenho água salobra

Na cabeça: de criar sou afinal capaz.

O último que criei foi Adão

Deixei ao tempo o resto e foi mau para mim.

Em lugar de criar qualquer novo João,

Lá fui ressuscitar Caim.

14-2-1910

Fernando Pessoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll Up